Sistema Eletrônico de Administração de Eventos - UERGS, VII Salão integrado de ensino, pesquisa e extensão, III Jornada de Pós-graduação e II Seminário sobre Territorialidade

Tamanho da fonte: 
USO DE MÁSCARA NEUTRA COMO CAMINHO PEDAGÓGICO PARA EXPLORAR O POTENCIAL CORPORAL DE ESCOLARES
Jéssica Juliane Grisolfi FAGUNDES, Carla Alessandra Leal DOS SANTOS, Marcella Menezes MARTINS, Maiara Ferreira GARCIA, Adriana Barni TRUCCOLO

Última alteração: 2017-10-11

Resumo


O presente trabalho surgiu de experiência vivenciada no componente curricular de Artes e Educação do curso de graduação em Pedagogia, onde os jogos teatrais foram apresentados como potencial caminho pedagógico para a aprendizagem escolar. Nessa perspectiva o trabalho com a máscara neutra foi pensado como forma de explorar o potencial corporal do aluno. A máscara neutra não possui expressão, nem personagem típica e tem o propósito de anular a expressão facial, forçando-nos a utilizar da corporeidade, através de uma ação física viva e intensa, para que uma intencionalidade seja transmitida. Apenas a forma humana é identificada, anulando-se todas as outras informações como: idade, sexo e traços culturais. Assim, a partir dessa construção objetivamos, através do jogo teatral com máscara neutra, expressar as mais distintas situações cotidianas utilizando somente a expressão corporal, o gesto, sem o uso da voz.  Estudo de intervenção realizado com vinte e uma acadêmicas e um acadêmico do curso de Pedagogia na unidade universitária da Uergs em Alegrete em quatro encontros. No primeiro encontro tivemos uma oficina de expressão corporal com professora convidada. No segundo, iniciamos a confecção da máscara utilizando balão, cola e jornais, para posteriormente finaliza-la com pintura. Por fim, nos dividimos em grupos e com o uso da máscara neutra fomos desafiados a trabalhar com temas, como: homofobia, preservação da natureza, uso abusivo de álcool, violência doméstica, violência urbana e impunidade. Como resultado da atividade tivemos a sensação de nos apropriarmos de nossos corpos, de interagirmos mais intensamente com nossos colegas, aprendemos de forma descontraída o quão importante será centralizarmos futuramente nossas aulas em nossos alunos e fomos convidados para dar uma oficina de confecção de máscaras para uma turma de quinto ano de uma escola municipal. Percebemos que a máscara é um recurso pedagógico importante que poderá ser utilizado por nós, futuros pedagogos, quando do trabalho com crianças e adolescentes, permitindo que os mesmos trabalhem corporalmente e expressem suas ideias, percepções e pensamentos mais livremente, pois possuem uma máscara que lhes confere segurança. Com a máscara somos todos iguais.


Palavras-chave


Arte. Educação. Máscara. Expressão Corporal.