Sistema Eletrônico de Administração de Eventos - UERGS, VII Salão integrado de ensino, pesquisa e extensão, III Jornada de Pós-graduação e II Seminário sobre Territorialidade

Tamanho da fonte: 
MYRCIANTHES PUNGENS: ANÁLISE DO POTENCIAL DE VIABILIDADE DE GRÃOS DE PÓLEN
Marlene Aparecida RODRIGUES, Talia Talita SEHN, Eduardo Lorensi de SOUZA, Marlon de Castro VASCONCELOS, Divanilde GUERRA

Última alteração: 2017-07-25

Resumo


O guabijuzeiro (Myrcianthes pungens) possui elevado potencial comercial devido à grande produção de frutos e baixa susceptibilidade a doenças, além da aceitação no mercado para o consumo in natura ou processados. A estimativa da viabilidade do pólen é importante pois contribui em estudos taxonômicos, ecológicos e genéticos, fornecendo informações para práticas de conservação genética, bem como é muito importante em programas de melhoramento, pois permite a seleção de genótipos com elevada viabilidade o que pode influenciar no sucesso da fertilização. Este trabalho teve como objetivo avaliar a viabilidade do pólen de 10 acessos de guabijuzeiros no Município de Três Passos, Rio Grande do Sul. A metodologia utilizada consistiu inicialmente na identificação morfológica e na análise biométrica dos frutos de 22 acessos. Destes, 10 acessos (2, 4, 5, 6, 9, 14, 16, 18, 19, 20) foram selecionados, pois se destacaram em produção de polpa e porcentagem de sólidos solúveis totais (Grau Brix %), sendo estes avaliados quanto a viabilidade do pólen. A metodologia consistiu na coleta de 10 botões florais em estágio de maturação. Estes foram identificados, acondicionados em recipientes plásticos e conduzidos ao laboratório. Os botões foram fixados em uma solução de álcool e ácido acético (3:1), por 24 horas, posteriormente acondicionados em álcool 70% e armazenados em geladeira. De cada acesso foram prepardas duas lâminas, com as anteras de duas flores, através do esmagamento para a liberação do pólen. As lâminas foram avaliadas quantitativamente, sendo contados 1000 grãos por lâmina, os quais foram classificados em viáveis ou inviáveis, através da cor com o uso do corante carmim propiônico (2%). Como resultado observou-se as seguintes percentagens de viabilidade para cada acesso de guabijuzeiro: A1: 98,2%; A4: 88,7%; A5: 97,9%; A6: 98,7%; A9: 96,64; A14: 86,4%; A16: 98,5%; A18: 97,4; A19: 91,8% e A20: 97,8%. A menor percentagem de viabilidade foi encontrada no A14 e a maior percentagem no A6, sendo que a viabilidade média do pólen de todos os acessos foi de 95,21%. Portanto, a viabilidade média de todos os acessos foi elevada, sendo que estes podem futuramente compor bancos de germoplasma e serem utilizados em cruzamentos dirigidos e na propagação vegetativa.


Palavras-chave


Guabiju. Genótipo. Botões de flores.