Sistema Eletrônico de Administração de Eventos - UERGS, VII Salão integrado de ensino, pesquisa e extensão, III Jornada de Pós-graduação e II Seminário sobre Territorialidade

Tamanho da fonte: 
PRODUÇÃO DE HÚMUS ATRAVÉS DA VERMICOMPOSTAGEM: FERTILIZANTE ORGÂNICO COMO CONDICIONANTE CAPAZ DE MELHORAR AS CARACTERÍSTICAS QUÍMICAS, FÍSICAS E BIOLÓGICAS DO SOLO
Vantuir Santos Caceres, Rosicler Alonso Backes

Última alteração: 2017-07-18

Resumo


A vermicompostagem é um processo de reciclagem de resíduos orgânicos, restos de alimentos e dejetos de animais por meio da utilização de minhocas que ao se alimentarem desses resíduos, produzem o húmus, promovendo excelente adubo para as plantas. A espécie utilizada é a Eisenia foetida, minhoca californiana, devido a alta taxa de reprodução,  capacidade de produzir grande quantidade de composto e de fácil adaptação.  O projeto contribui com práticas voltadas à educação ambiental e conservação do solo através de recomendações de doses que promovem a melhoria da fertilidade, uma vez que a relação com a percentagem de quantidade de matéria orgânica adicionada ao solo traz vários benefícios tornando o bem estruturado e com baixo custo econômico para a recuperação. O canteiro foi construído pelos acadêmicos do Curso de Bacharelado em Gestão Ambiental, com uma área de 7,0 m2, com produção de 4,0 m³ de adubo orgânico por período, localizado na UERGS São Borja. A instalação foi baseada em normas técnicas e requisitos básicos, como: acesso ao substrato, boa drenagem, temperatura, água limpa e abundante. As fontes de substrato utilizadas são esterco, restos de culturas, resíduos agroindustriais e resíduo domiciliar orgânico. A acomodação do substrato é feita nos canteiros e manejada diariamente. Após o período de decomposição do material, entre 45 a 60 dias, é feito o peneiramento, resultando o produto final o húmus. O processo considera itens fundamentais no conceito de sustentabilidade que é minimização de impactos ambientais, minimização de rejeitos e maximização da reciclagem, considerando também a substituição ou redução do uso de fertilizantes minerais.   Após o peneiramento e separação do material, o substrato é analisado em laboratório para avaliação de quantidade percentual de matéria orgânica e dos elementos químicos (macro e micronutrientes).  Toda a produção de húmus é utilizada no viveiro florestal da unidade e em projetos de educação ambiental na comunidade. Além de serem fontes de nutrientes para as plantas, o adubo orgânico contribuiu para o acúmulo de matéria orgânica do solo (MOS), favorecendo as atividades físicas, químicas e toda a atividade biológica, melhorando a sua estrutura, infiltração, drenagem e armazenamento de água e aeração.

 

 

Palavras-chave: educação ambiental, sustentabilidade, fertilidade do solo e adubo orgânico.

Agradecimentos e Fontes de Financiamento: Este trabalho contou com apoio da Uergs por meio do Edital  PROBEX-PROEX 2017 . Este trabalho conta com o apoio do laboratório de análises Lassul.


Palavras-chave


educação ambiental, sustentabilidade, fertilidade do solo e adubo orgânico.