Sistema Eletrônico de Administração de Eventos - UERGS, VII Salão integrado de ensino, pesquisa e extensão, III Jornada de Pós-graduação e II Seminário sobre Territorialidade

Tamanho da fonte: 
REVITALIZAÇÃO DO ARROIO TEIXEIRA
Cáren Koch da Rosa, Thainá Alencastro, Rafaela Biehl Printes, Margarete Sponchiado

Última alteração: 2017-08-07

Resumo


A ineficiente gestão da ocupação dos territórios urbanos e rurais, desconsiderando as áreas de preservação permanente, previstas em lei, como as de margens de cursos d’água contribuem para a degradação de ecossistemas das bacias hidrográficas. Este projeto tem como objetivo oferecer subsídios e métodos para a revitalização do arroio Teixeira que pertence ao Comitê da Bacia Hidrográfica do Camaquã (RS) e atualmente esta classificado como classe quatro, segundo a Resolução 357/2005 do CONAMA.  A metodologia   proposta foi o mapeamento das delimitações da bacia hidrográfica do Teixeira e a mata ciliar existente através do programa Google Earth Pro; realização de análises limnológicas e biológicas para verificar e identificar os poluentes existentes, após serão sugeridos métodos para promover a revitalização, além de atividades de educação socioambiental com a população que mora nas margens do arroio. As práticas a serem propostas devem melhorar a qualidade da água e aumentar a biodiversidade deste ecossistema, contribuindo para o desenvolvimento regional sustentável. Os dados preliminares desta pesquisa foram a localização de um loteamento com 25 casas na área de preservação permanente do arroio próximo a foz, onde 80% das casas são inundadas em épocas de cheia do arroio por causa do uso indevido do solo e dos esgotos não tratados. As análises de água foram feitas em uma das nascentes, que demonstraram o pH 7, os sólidos sedimentáveis 0,04 ml/Le os sólidos totais 91,9 mg/L já na foz o pH manteve-se o mesmo, os sólidos sedimentáveis 0,1 ml/L, e os sólidos totais 104,3 mg/L desta forma constatou que os resultados estão dentro dos parâmetros exigidos pela Resolução 357/05 do CONAMA, mas na coleta constatou-se grande variação de odor e cor da nascente para a foz. Este projeto demonstra que somente por meio de um esforço conjunto de gestão compartilhada entre os municípios, as universidades, as instituições de pesquisa e a comunidade envolvida possibilitarão o êxito da revitalização e uma mudança da situação atual do arroio Teixeira.

Palavras-chave


Áreas Protegidas. Águas. Revitalização.

Texto completo: Sem título