Sistema Eletrônico de Administração de Eventos - UERGS, VII Salão integrado de ensino, pesquisa e extensão, III Jornada de Pós-graduação e II Seminário sobre Territorialidade

Tamanho da fonte: 
MAÇÃS DESIDRATADAS POR PROCESSO DE EVAPORAÇÃO CONVECTIVA
Willian Silva da Rosa, Gabriel Antunes Vasques, Amarildo O. Sottoriva, Fernanda Magalhães Stalliviere, Cleber Rabelo da Roza, Adriana Cibele Mesquita Dantas, Betina Magalhães Bitencourt, Rogério Luís Thum, Jacinto Silva Esteves

Última alteração: 2017-09-19

Resumo


O processo de desidratação consiste em fazer com que algum produto perca grande parte da água armazenada. A desidratação é um processo simples, pois este método existe desde os povos primitivos, mas era feito de uma forma artesanal,  pois os produtos eram expostos ao sol até obterem seu ressecamento. A ideia de desidratar alimentos em máquinas surgiu nos anos 70 na França, mas não obteve sucesso inicialmente. Existem nos dias de hoje vários tipos de equipamentos para a desidratação de alimentos. O construído para este trabalho  se trata de um desidratador elétrico convectivo com ventilação forçada. O mesmo foi produzido de forma artesanal, usando materiais encontrados no comércio local. Seu objetivo principal é desidratar frutas e legumes, em pequena escala. O equipamento é constituído por uma câmara de aquecimento e uma de desidratação. A de aquecimento foi construída em madeira MDF laminada com cobertura dupla de vidro. Na câmara de desidratação também usou-se madeira MDF laminada e lâminas duplas de vidro na porta. Internamente foi instalado suportes de madeira para o encaixe bandejas de aço inox e sensores eletrônicos de umidade e temperatura além de um termômetro de bulbo de mercúrio. Para o aquecimento foi instalado, na câmara de aquecimento, uma resistência elétrica com controle eletrônico de potência. O monitoramento do consumo de energia elétrica foi feita por um amperímetro e um voltímetro. Após higienizadas, as maçãs foram fatiadas, pesadas e distribuídas nas bandejas e iniciado o processo de desidratação. A cada trinta minutos anotou-se as temperaturas e umidades relativas dos sensores instalados no equipamento, além das leituras feitas no voltímetro e no amperímetro. Ao término do processo as maçãs desidratadas foram novamente pesadas. Os procedimentos citados foram repetidos em várias potências de aquecimento, resultando temperaturas diferentes no processo. Com os dados obtidos foi avaliado a eficiência energética do equipamento e o produto foi submetido  a análise sensorial em relação a aparência, textura, cor, aroma e sabor.


Palavras-chave


Desidratação, desidratador, frutas, maça, experimento