Sistema Eletrônico de Administração de Eventos - UERGS, IX SIEPEX - IX Salão Integrado de Ensino, Pesquisa e Extensão

Tamanho da fonte: 
INFLUÊNCIA DO CICLO CIRCADIANO NA COMPOSIÇÃO DE COMUNIDADES DE AVES COSTEIRAS EM PRAIAS ARENOSAS
Tarcísio Linhares LÖW, Guilherme Tavares NUNES

Última alteração: 2019-05-19

Resumo


Entender os fatores que influenciam a composição das comunidades em cada ambiente é extremamente importante para realizar a análise da saúde de um ecossistema. Diversos são os parâmetros da paisagem conhecidos e utilizados na caracterização dos ambientes, como geologia, vegetação e construções antrópicas. Porém, o horário solar aparente é um fator pouco levado em consideração nos estudos. Este estudo visa avaliar o papel do ciclo circadiano na composição das comunidades de aves costeiras em praias arenosas.  A obtenção de dados é feita através de contagens de aves nas praias de Nova Tramandaí e Cabras (Tramandaí/RS). Desde setembro de 2018 estão sendo realizadas, mensalmente, contagens de aves em transecções de 1km, paralelas à linha de praia (uma em cada áreas de estudo), em sete horários distintos durante um período de 24 horas. Os horários de cada contagem seguem o horário solar aparente: duas horas antes do nascer do sol, no nascer do sol, no horário intermediário entre o nascer do sol e o meio dia solar, no meio dia solar, no horário intermediário entre o meio dia solar e o crepúsculo, durante o crepúsculo, e duas horas após o crepúsculo. Até o momento, foram realizadas 84 transecções e foram observadas 6480 aves, distribuídas em 38 espécies. A espécie mais abundante foi Himantopus melanurus (n = 1602), seguida de Haematopus palliatus (n = 1548). A mais frequente foi H. palliatus (presente em 57 das 84 transecções), seguido de Vanellus chilensis (presente em 53 das 84 transecções). Dados preliminares indicam alteração na composição das comunidades de aves com a variação do horário solar aparente. Nycticorax nycticorax foi avistado 72 vezes nos 24 censos noturnos, 15 vezes nos 24 censos ao nascer e pôr do sol, e nenhuma vez nos outros 36 censos diurnos. O trabalho, além de apresentar dados sobre a variação na comunidade entre duas áreas com diferentes paisagens (ao todo 139 avistagens de Thalasseus acuflavidus na Praia das Cabras e nenhuma em Nova Tramandaí), também apresenta informação a ser incorporada na metodologia de estudos que abordem contagens de aves costeiras, como as diferenças no uso da praia ao longo do dia.

 


Palavras-chave


aves costeiras; ecologia de comunidades; parâmetros da paisagem.