Sistema Eletrônico de Administração de Eventos - UERGS, V Salão Integrado de Ensino, Pesquisa e Extensão & Ia Jornada de Pós-graduação da UERGS

Tamanho da fonte: 
NEUROCIÊNCIA E EDUCAÇÃO: NOVAS PERSPECTIVAS PARA A APRENDIZAGEM ACADÊMICA
Luana FUSSINGER, Rosane de Fátima FERRARI

Prédio: Apresentação de Pôsteres
Sala: Auditório
Data: 2015-09-25 10:30 AM – 12:30 PM
Última alteração: 2015-09-06

Resumo


Proveniente do Projeto de Iniciação Científica intitulado: “Contribuições da Neurociência para o Processo de Ensino-Aprendizagem no Contexto Universitário”, o presente estudo trata de uma reflexão acerca da neurociência aliada à educação, tendo em vista suas perspectivas no meio acadêmico. Desta forma, o trabalho desenvolvido tem o propósito de pesquisar de que forma a neurociência pode colaborar com o processo de ensino-aprendizagem no contexto universitário e investigar os componentes cognitivos e comportamentais que contribuam com uma formação mais humana e profissional neste espaço. Diante desses pressupostos, realiza-se um trabalho bibliográfico, de cunho qualitativo, que tem como foco principal a melhoria do ensino. Nesta perspectiva, diversos aspectos referentes ao processo de ensino são discutidos, em especial aqueles relacionados à neurociência cognitiva e comportamental através da neuroeducação. Sabe-se que o cérebro humano se desenvolve constantemente, reestruturando-se e reorganizando-se, continuadamente, para atender cada etapa de vida do sujeito. Por isso, acredita-se que ao compreender a organização e as funções cerebrais, analisar os mecanismos de atenção e memória e relacionar emoção e motivação ao desempenho, é possível evidenciar de que forma a neurociência aliada à educação, pode contribuir para a mediação pedagógica no contexto universitário. Por isso, um ensino desafiador caracterizado por uma aula dinâmica, onde o aluno assume um papel participante, questionador e ativo na construção do conhecimento, tornam-se fatores necessários para a efetivação da aprendizagem, pois acabam evidenciando que: o ambiente sociocultural tem ligação direta com a formação do indivíduo; as emoções podem acelerar ou atrasar o desenvolvimento cognitivo; o cérebro só está atento àquilo que consegue entender; a aprendizagem só será concretizada se estiver guardada na memória. Estes são alguns dos benefícios da neuroeducação que reforçam o quanto a efetivação deste campo na universidade é pertinente e necessária. Portanto, promover um ambiente de forma que as pessoas sintam-se reconhecidas, que estimule a confiança e que ajude na superação das dificuldades, certamente, preparará indivíduos mais capazes de se desenvolverem intelectualmente, afetivamente, socialmente e desta forma realizarem-se pessoalmente e profissionalmente. 


Palavras-chave


Neurociência. Processo de Ensino-Aprendizagem. Contexto Universitário.