Sistema Eletrônico de Administração de Eventos - UERGS, V Salão Integrado de Ensino, Pesquisa e Extensão & Ia Jornada de Pós-graduação da UERGS

Tamanho da fonte: 
MANEJO AGROECOLÓGICO DE TOMATE (Lycopersicon esculentum Mill) EM HORTAS DOMÉSTICAS
Lidiane Martins da COSTA, Mateus FUHR, Marta Sandra DRESCHER

Prédio: Apresentação de Pôsteres
Sala: Auditório
Data: 2015-09-24 05:00 PM – 07:00 PM
Última alteração: 2015-09-06

Resumo


O tomate é uma das hortaliças com maior volume de produção e consumo no Brasil, tendo ampla aceitação pelos consumidores tanto nas formas in natura, quanto industrializada com inúmeros subprodutos. Na dieta humana destaca-se como uma boa fonte de vitaminas (acido fólico, vitaminas C e E, minerais e potássio), carotenóides (beta-caroteno e licopeno) e flavonóides. Todavia, o sistema convencional de cultivo desta hortaliça tem sido questionado pela aplicação de agrotóxicos, muitas vezes utilizados de modo inadequado e excessivo, o que possibilita a ocorrência de resíduos no produto final e, consequentemente provoca a insegurança alimentar na população. Paralelamente, doenças e pragas têm limitado a expansão do cultivo em sistemas orgânicos, suscitando a necessidade de realização de estudo de medidas de controle que viabilizem esses sistemas alternativos de produção. Diante desse cenário, o presente trabalho propõe a realização de um estudo com objetivo de introduzir e analisar práticas baseadas nos princípios da agricultura agroecológica na produção de tomate, verificando sua viabilidade em hortas domésticas. O estudo será realizado em São Luiz Gonzaga – RS, no período de julho de 2015 a julho de 2016 em ensaio de campo organizado na forma de um bifatorial 2X5, com quatro repetições. Os níveis do primeiro fator serão compostos pelo manejo da adubação: (1) solo+adubo químico e (2) composto de resíduos orgânicos domésticos. No segundo fator os níveis compõe-se de alternativas de manejo agroecológico de pragas e doenças: (1) sem tratamento (testemunha); (2) plantas companheiras (salsa e cebolinha); (3) plantas companheiras+calda bordalesa; (4) plantas companheiras+óleo de nim; (5) calda bordalesa+óleo de nim. O estudo encontra-se em na fase inicial, que contempla a instalação da composteira e coleta dos resíduos domésticos, definição da variedade de tomate orgânico adaptado as condições de clima e solo da região. Ainda não há resultados concretos, porém, levando em consideração as pesquisas realizadas até o momento, espera-se que o projeto gere resultados que possibilitem a produção de fruto fresco, com características muito mais saudáveis e produtividade equivalente ao sistema convencional de cultivo.


Palavras-chave


Agroecologia; Segurança Alimentar; Compostagem; Plantas companheiras