Sistema Eletrônico de Administração de Eventos - UERGS, VI Salão Integrado de Ensino, Pesquisa e Extensão & IIa Jornada de Pós-graduação da UERGS (ISSN: 2448-0010)

Tamanho da fonte: 
CARACTERIZAÇÃO AMBIENTAL MACROSCÓPICA DAS NASCENTES DO ESPAÇO URBANO DO MUNICÍPIO DE SANANDUVA
Equiton Lorengian GREGIO, Vanessa Almeida de VARGAS, Fabiane WIEDERKEHR

Última alteração: 2016-09-17

Resumo


A água doce pode ser considerada um dos elementos mais importantes e essenciais da vida de todos os seres vivos, satisfazendo todas as necessidades da vida bem como saúde, produção de alimentos e a permanência e interação dos ecossistemas. Diante dessa importância, associado a uma grande chance de escassez as nascentes merecem uma atenção especial e um maior estudo sobre as mesmas. A conservação das águas superficiais em períodos escassos de chuva é garantida pela emergência das águas do lençol freático em forma de nascente. A desenfreada ocupação urbana em grande parte do Estado do Rio Grande do Sul, como no município de Sananduva se mostra um dos principais indícios de degradação, principalmente na área urbana, um agravante desse problema é a população e órgãos que mostram pouca preocupação com as nascentes e sua importância já citada anteriormente. Visamos, então, com este projeto estudar detalhadamente as nascentes do espaço urbano de Sananduva, de modo a conscientizar a população como um todo da significativa preservação ambiental das nascentes e seu papel fundamental nos ecossistemas. A metodologia adotada envolve a localização e georreferenciamento com GPS das nascentes, a caracterização do índice de qualidade ambiental macroscópico e o registro fotográfico das feições indicativas analisadas. Este índice atribui pontuações de 1 a 3 para onze parâmetros ambientais macroscópicos locais, como características do entorno e da própria água, sendo que o valor 1 é indicativo de feições negativas e o valor 3 de feições positivas. O somatório total determinará sua classe, sendo que valores inferiores a 21 indicam péssimo grau de proteção, valores entre 22-24, indicam um grau de proteção ruim, valores entre 25-27, indicam um grau de proteção razoável, valores entre 28-30, indicam um grau de proteção bom e valores entre 31-33, indicam boa proteção. Foram coletadas até então dados de 10 nascentes no perímetro urbano de Sananduva, resultados apontam uma boa, quatro razoável, três ruins e duas péssimas.  Objetiva-se demostrar os locais de maior necessidade de tomada de medidas corretivas, bem como de maior potencial de exploração didático-ambiental.

 


Palavras-chave


Espaço Urbano. Nascentes. Conscientização. Preservação.