Sistema Eletrônico de Administração de Eventos - UERGS, VI Salão Integrado de Ensino, Pesquisa e Extensão & IIa Jornada de Pós-graduação da UERGS (ISSN: 2448-0010)

Tamanho da fonte: 
INCLUSÃO ALÉM DA ESCOLA: ACESSIBILIDADE EM UM CENTRO DE TRADIÇÕES GAÚCHAS
Angelica Farias MOURA, Tatiana Luiza RECH

Última alteração: 2016-08-19

Resumo


 

Angélica Farias de Moura 1; Tatiana Luiza RECH2.

1. Aluna do Curso de Pedagogia-Licenciatura. Unidade de Cruz Alta. UERGS; 2. Professora orientadora. Unidade de Cruz Alta. UERGS.

E-mails: angimoura@yahoo.com.br; tatianarech@yahoo.com.br

 

Ao nos depararmos com situações que dificultam o acesso a determinados lugares, percebemos o quanto é difícil a locomoção de pessoas com deficiência em lugares públicos e privados onde o acesso seguro é inexistente. A partir dessa problemática, o presente trabalho objetivou pesquisar a acessibilidade em lugares formais e não formais de aprendizagem da cidade de Cruz Alta - RS, a fim de verificar se eles oferecem condições adequadas de acesso. Partimos da premissa de que o Decreto nº 5.296, de 2 de dezembro de 2004 aborda a acessibilidade como “condições e possibilidades para utilizar com segurança e autonomia as construções públicas e privadas em seus espaços, salas, proporcionando o direito de ir e vir a todos os lugares que necessitem” e, sendo assim, optamos por pesquisar o Centro de Tradições Gaúchas - CTG Turíbio Veríssimo, localizado na cidade de Cruz Alta. Com as observações foram constatados inúmeros aspectos que dificultam a inclusão das pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida, sendo que a maioria deles está relacionado à falta de acessibilidade. No caso do local pesquisado, a sede é antiga, sua entrada possui uma escada com corrimão dos dois lados, sem piso tátil, o que dificulta o acesso para pessoas com deficiência visual e, também, para idosos. Durante os eventos, ao nos deslocarmos pelo ambiente, nota-se que o espaço é reduzido para deslocamento de cadeira de rodas entre as mesas e na pista de dança, por exemplo. Para chegarmos aos banheiros, constatamos degraus nas portas de acesso. Como resultado inicial, a pesquisa mostrou a necessidade de ampliação das informações e maior divulgação sobre as políticas de inclusão e acessibilidade. Igualmente, existe a necessidade de que as leis que se referem à acessibilidade para pessoas com deficiência sejam esclarecidas, problematizadas e, essencialmente, colocadas em prática pela sociedade cruz-altense. Também percebemos que, após a realização das observações no local escolhido, algumas modificações foram realizadas no mesmo. Por esse motivo, no próximo semestre, dar-se-á continuidade a pesquisa, a fim de realizar um mapeamento da cidade de Cruz Alta, verificando quais locais estão acessíveis às pessoas com deficiência.

 

Palavras-chave: Acessibilidade. Pessoas com deficiência. Inclusão. Centro de Tradições Gaúchas.


Palavras-chave


Acessibilidade. Pessoas com deficiência. Inclusão. Centro de Tradições Gaúchas.