Sistema Eletrônico de Administração de Eventos - UERGS, VI Salão Integrado de Ensino, Pesquisa e Extensão & IIa Jornada de Pós-graduação da UERGS (ISSN: 2448-0010)

Tamanho da fonte: 
AVALIAÇÃO DO POTENCIAL ENERGÉTICO DA CASCA DE ARROZ CULTIVADOS NO RIO GRANDE DO SUL
Fernanda RAYE, Douglas FARIA, Matheus Mem DE SÁ, Sabrina DE LEON, Fernando SANTOS

Última alteração: 2017-01-06

Resumo


A demanda por materiais provenientes de recursos renováveis capazes de substituir químicos e combustíveis à base de petróleo está cada vez maior, visto o esgotamento gradual de recursos naturais e o impacto ambiental causado pela poluição. O resíduo da casca de arroz, subproduto gerado após a colheita, constitui uma possível fonte energética devido à capacidade de substituir a queima de biomassa lenhosa, como a madeira, para a geração de bioenergia, sendo assim um bioproduto viável sustentável e economicamente. O objetivo deste estudo foi avaliar o potencial energético da casca do arroz. Foram realizadas análises imediata, elementar e de poder calorífico superior. Os resultados de análise elementar foram: Carbono (42,49%); Hidrogênio (4,88%); Nitrogênio (1,33%); e Enxofre (0,13%). Para análise imediata: cinzas (16,16%); materiais voláteis (60,33%); carbono fixo (10,10%). No poder calorífico o resultado foi 16,70 MJ/Kg de casca. Pode-se concluir que a casca do arroz possui características desejáveis ao processo termoquímicos.


Palavras-chave


Biomassa; Arroz; Resíduos; Potencial

Texto completo: Resumo expandido