Sistema Eletrônico de Administração de Eventos - UERGS, X Seminário Brasileiro sobre Pequenas Frutas

Tamanho da fonte: 
Produção e qualidade de frutos de genótipos de amoreira-preta
Leonardo Oliboni do Amaral, Andrea De Rossi, Ana Maria Ribeiro, Hingrid Serafim, Lucas de Ross Marchioretto

Última alteração: 2019-06-24

Resumo


Este estudo teve como objetivo avaliar características de produção e qualidade físico-química de frutos de genótipos de amoreira-preta cultivados na região dos Campos de Cima da Serra do RS e indicar materiais com potencial para serem lançados como cultivares ou seguirem no programa de melhoramento genético da cultura. O experimento foi conduzido em 2018, no município de Vacaria/RS, na Embrapa Uva e Vinho – Estação Experimental de Fruticultura de Clima Temperado. Foram avaliados os seguintes genótipos: Cultivares Tupy, Xingu e Xavante e seleções Black 112, 139, 145, 181, 198, 212, 216, 287 e 288. Foram avaliadas a produção por planta, produção por hectare, número de frutos por planta, massa média, comprimento, diâmetro, relação comprimento/diâmetro, sólidos solúveis e acidez titulável dos frutos. As seleções Black 145, 198 e 216 produziram mais de 3,0 Kg de frutos por planta e por isso têm potencial para serem lançadas como novas cultivares, superando a cv. Tupy e igualando a produção da cv. Xingu. Já as seleções Black 287, 288 e 212 apresentaram aptidão para consumo in natura, devido a relação entre sólidos solúveis e acidez titulável acima de 7,7. Entre os genótipos sem espinhos, a seleção Black 181 apresentou melhores características organolépticas em comparação à cv. Xavante.

Texto completo: PDF