Sistema Eletrônico de Administração de Eventos - UERGS, X Seminário Brasileiro sobre Pequenas Frutas

Tamanho da fonte: 
BROTAÇÃO DE GEMAS DE MIRTILEIRO ‘DUKE’ EM RESPOSTA À APLICAÇÃO DE INDUTORES DE BROTAÇÃO
Morgana Castilhos Silva, Fabiano Simoes, FERNANDO JOSE HAWERROTH

Última alteração: 2019-07-01

Resumo


Resumo: A irregularidade e a insuficiência da ocorrência de frio durante o período hibernal nas regiões de clima ameno, é um fator limitante na sincronização e indução de gemas floríferas e vegetativas na cultura do mirtileiro, repercutindo em baixa frutificação e irregularidade da produção. Objetivou-se avaliar a eficiência de diferentes reguladores de crescimento combinados com nitrato de cálcio 3% ou óleo mineral 3,5% na brotação de gemas floríferas e vegetativas da cultivar ‘Duke’ em condições de inverno ameno e identificar as concentrações mais efetivas de bioestimulantes organominerais no manejo de indução de brotação de gemas, tendo como objetivo geral, aperfeiçoar as tecnologias para indução de  brotação de gemas floríferas e vegetativas de mirtileiros com alta exigência em frio. Foram realizados ensaios em dois ciclos produtivos, sendo o primeiro 2017/2018, repetindo os mesmos tratamentos no ciclo 2018/2019. Foram observadas diferentes respostas em relação aos ciclos, em razão das diferentes condições climáticas da região dos Campos de Cima da Serra em ambos os ciclos, ficando evidente a necessidade do manejo de indutores de brotação na cultura do mirtileiro da cultivar ‘Duke’. Considerando a possibilidade do uso em pomares novos e que necessitem maior renovação de estruturas produtivas, o uso de bioestimulantes mostrou-se mais efetivo na brotação de gemas vegetativas e no crescimento das brotações quando comparado ao uso de cianamida hidrogenada e às plantas do tratamento-testemunha.

Palavras–chave: Vaccinum spp; insuficiência de frio; ‘Duke’; bioestimulantes


Texto completo: PDF